15 maneiras de acelerar seu site

Uma das piores coisas que podem acontecer ao seu site é perder clientes devido a problemas totalmente evitáveis. As estatísticas do estudo Google Page Load Time 2017 demonstram que um segundo pode fazer uma grande diferença nos números de tráfego e na satisfação do cliente.


Em apenas um segundo:

  • As visualizações da sua página podem reduzir em 11% ��
  • Os níveis de satisfação do cliente podem cair 16% ��
  • Você pode experimentar uma redução de 7% nas taxas de conversão ��

Ao longo de um ano, esse atraso de um segundo poderia resultar em uma queda de US $ 2,5 milhões na receita para empresas que normalmente têm em média US $ 100.000 em vendas diárias.

Em resumo, latência é o inimigo do desempenho do site e da satisfação do usuário. Cinquenta e três por cento dos consumidores afirmam que sairiam de um site que demorou mais de três segundos para carregar.

O que é latência e por que é importante?

Existem três componentes que contribuem para a velocidade de entrega de dados: largura de banda, latência e taxa de transferência. Em conjunto com o conteúdo e a codificação otimizados, esses elementos andam de mãos dadas. Problemas com um afetarão os outros.

imagem mostrando a latência e velocidade da redeLargura de banda é o pipeline sobre o qual seus dados trafegam. A largura de banda estreita reduz a quantidade de informações que trafegam pelo pipeline a qualquer momento. Isso leva a problemas de latência e afeta a taxa de transferência.

Local na rede Internet latência é definido como o tempo que as informações levam para fazer a viagem de ida e volta do navegador para o servidor e voltar para o usuário novamente. Taxa de transferência é a quantidade de dados que trafega por um servidor em um período de tempo definido.

É o equilíbrio ideal de latência (baixa) e largura de banda (alta) que leva a entrega eficiente e melhor taxa de transferência. Se esse saldo for desfavorável, os tempos de carregamento da página do site serão mais lentos e a entrega de dados atrasada.

O que contribui para altas taxas de latência?

  • Propagação. Esse é o período de tempo necessário para os pacotes de dados viajarem de uma fonte para outra.
  • Transmissão média. Percorremos um longo caminho desde os dias da discagem, mas a mídia de transferência ainda afeta a latência. Mesmo avanços tecnológicos como fibra ótica e WAN têm limitações físicas que afetam as velocidades de entrega de conteúdo.
  • Roteadores. O que podemos fazer com um clique do mouse ou digitando um URL aciona uma cadeia de eventos que nos permite acessar a Internet. Aos olhos do usuário médio, uma solicitação é feita e honrada na velocidade da luz. No entanto, depende da capacidade do nosso roteador analisar adequadamente os cabeçalhos de pacotes e outras informações..

Quanto mais distribuída a rede, mais vezes um pacote precisa passar de roteador para roteador. Isso contribui para alta latência.

  • Armazenamento. Atrasos ocorrem sempre que um pacote de dados é bem-sucedido ou armazenado. O processo é ainda mais complicado pelo número de switches e pontes encontrados entre a solicitação e a entrega inicial do navegador. Consulte relacionado – melhor armazenamento na nuvem
  • Formatação Como você configura arquivos e gerencia os bancos de dados do WordPress afetará como as instruções e o código são lidos e processados. Código limpo, enxuto e elegante leva a eficiência e velocidade.
  • Tipos e tamanhos de arquivo. É lógico que arquivos menores e formatação mais simples percorrerão uma rede de maneira mais rápida e eficiente. Sites pesados ​​em gráficos e outras mídias avançadas apresentam conteúdo mais confuso e afetam a velocidade de carregamento completo das páginas. É por isso que é importante compactar os arquivos do seu site.

Os benefícios de otimizar seu site

Se você optar por usar um construtor de sites de alta qualidade, contratar um web designer ou construir sua página da Web por conta própria, considerando a segurança e a velocidade do design, você melhorará a aparência e a entrega do seu conteúdo. Isso ajuda com Otimização SEO e fornece uma melhor experiência do usuário (UX).

Estudos mostram que pode levar até 22 segundos para um site para celular carregar completamente a página de destino média. Imagine a vantagem que você terá sobre a concorrência se conseguir reduzir o tempo de carregamento para sete segundos ou menos.

15 maneiras de aumentar sua velocidade na Web hoje

Os servidores de hoje são capazes de fornecer tempos de carregamento que são medidos em milissegundos em vez de segundos. Além de controlar a tecnologia que entrega seu conteúdo da web aos visitantes, você pode implementar várias alterações e ajustes para garantir um carregamento consistente e rápido da página e um UX geral mais satisfatório.

Aqui estão 15 maneiras de aumentar a velocidade do seu site e elas não prejudicam a qualidade do conteúdo ou a estética do site..

1. Habilite a compactação de arquivos

A compactação de arquivos não é novidade. Todos nós encontramos arquivos grandes demais para serem baixados que podemos acessar depois que eles são compactados. A mesma idéia pode ajudar seu site a carregar mais rápido usando a compactação Gzip.

Para fazer isso, instale o plug-in de compactação do seu sistema de gerenciamento de conteúdo ou manualmente através do arquivo .htaccess. Isso funcionará para CSS, JS, XML e HTML adicionando o seguinte código:

AddOutputFilterByType DEFLATE texto / simples
AddOutputFilterByType DEFLATE text / html
AddOutputFilterByType DEFLATE text / xml
AddOutputFilterByType DEFLATE text / css
AddOutputFilterByType DEFLATE application / xml
AddOutputFilterByType DEFLATE application / xhtml + xml
AddOutputFilterByType DEFLATE application / rss + xml
AddOutputFilterByType DEFLATE application / javascript
AddOutputFilterByType DEFLATE application / x-javascript

2. Remova extensões e plug-ins desnecessários

Quando você cria seu site pela primeira vez, é tentador instalar e experimentar vários plug-ins. Alguns deles são ótimos, mas muitos outros acabam acumulando poeira em nossos diretórios. Estabeleça como regra a desinstalação imediata de plug-ins e complementos ou extensões antigos, desnecessários ou não suportados. Desativá-los pode parecer a opção mais fácil, mas isso pode causar problemas de segurança e colocar você em risco de violações e explorações.

Quando se trata de segurança do site, o foco em ter apenas os melhores plug-ins do WordPress instalados e remover os desnecessários também é extremamente importante.

3. Otimize HTTP

Há duas maneiras de melhorar o tempo de carregamento da página por meio da otimização de HTML. O primeiro é minimizar suas solicitações HTTP. Você pode fazer isso de várias maneiras:

  • Use CSS em vez de imagens sempre que possível
  • Combine arquivos CSS, JS e HTML para evitar inchaço e redundância
  • Crie páginas simples e limpas com menos elementos
  • Ativar cache
  • Reduza o número de redirecionamentos limpando páginas antigas e links quebrados

A segunda maneira de otimizar o HTML é ativando o Keep-Alive. Normalmente, cada solicitação de arquivo inicia uma ação separada. Ao ativar o HTML Keep-Alive, você cria uma conexão aberta que permanece assim até que todas as solicitações do navegador sejam atendidas. Copie este código em seu arquivo .htaccess, cercado pelas tags de abertura e fechamento apropriadas:

IfModule mod_headers.c
Conjunto de cabeçalhos Conexão mantida ativa
IfModule

4. Instale uma rede de entrega de conteúdo (CDN)

Redes de entrega de conteúdo (CDNs) reduza o tempo de carregamento da página da mesma maneira que os servidores. Essas redes estão espalhadas por diferentes pontos do globo, permitindo que alguém nessa geolocalização acesse seu site mais perto de casa.

Muitos serviços de hospedagem incluem uma CDN como parte de seu serviço; portanto, verifique a disponibilidade antes de entrar com alguém. Veja relacionados – melhores CDNs canadenses

5. Ative o cache

O cache deixa uma cópia da sua página da web no navegador do usuário até que a página seja atualizada e o conteúdo atualizado. Isso significa menos solicitações HTTP e páginas a serem carregadas. Ao ativar o cache, você pode reduzir o tempo de carregamento da página em 1,5 segundos. Numa época em que cada segundo conta, isso representa uma enorme diferença.

O armazenamento em cache no WP pode ser ativado com o plug-in Rocket ou através de um dos plug-ins gratuitos, como WP3 Total Cache ou Super Cache. Aqueles que usam HTML podem ativar o armazenamento em cache através de Etags, Expire ou outros métodos. Os usuários do Drupal podem executar a ativação do cache seguindo estas instruções.

6. Minimize o código JS e CSS

Você pode melhorar o tempo de carregamento da página, reduzindo a quantidade de codificação necessária para executar uma ação. Comece criando um arquivo separado para JS e CSS e trabalhe para reduzir o espaço em branco, excluir comentários desnecessários e combinar arquivos ou linhas de comando sempre que possível. Se você não souber como minimizar o código da melhor forma, sem criar outros problemas, existem ferramentas de redução disponíveis que identificarão e corrigirão a codificação inchada.

7. Empregue carregamento assíncrono de arquivos JS e CSS

Depois que seu código for enxuto e eficiente, você poderá ajustar como os arquivos são carregados na sua página através de carregamento assíncrono. Isso muda a forma como o conteúdo é carregado na sua página, fazendo-o com mais eficiência.

Veja, a maioria dos navegadores processa solicitações carregando páginas em ordem, uma de cada vez. Isso é conhecido como carregamento de página síncrona. Sempre que o navegador encontra uma página síncrona, ele interrompe todas as outras atividades até que a página atual esteja totalmente carregada. Com o carregamento assíncrono, seu navegador pode processar algumas solicitações simultaneamente, o que significa um tempo de carregamento do site mais curto..

A maioria dos sistemas de gerenciamento de conteúdo possui um mecanismo para ativar o carregamento assíncrono de arquivos CSS e JS. Por exemplo, o WordPress possui uma guia “Arquivos estáticos” em seu plug-in Rocket que permitirá ativar essa função marcando as caixas apropriadas na seção “CSS / JS de bloqueio de renderização”. Usuário não WP pode habilitar isso em JS usando o atributo assíncrono ou adiado. Para CSS, tente escrever estilos para a primeira tela no cabeçalho do html para ativar o carregamento assíncrono da primeira página.

O carregamento do JavaScript diferido pode produzir os mesmos resultados e pode ser ativado na mesma seção do painel WP Rocket que as preferências de carregamento. Se você estiver executando um site em HTML, poderá adiar o carregamento de JS fazendo uma chamada para o arquivo externo antes da tag do corpo no seu código, desta forma:

8. Otimizar arquivos de imagem

Um dos maiores recursos e bancos de dados do banco de dados são as imagens. Claro, as fotos serão adicionadas ao seu conteúdo, mas muitas também afetarão a velocidade e desviarão o tráfego. Se você precisar incluir imagens em seu site, escolha uma ou duas, reduza o tamanho do arquivo e digite para algo mais eficiente, como .jpeg, ou faça uma colagem em vez de uma galeria de imagens separadas. Você também pode movê-los para uma plataforma criada para imagens, como InstaGram, e um link simples para essa plataforma do seu site.

O mesmo se aplica ao conteúdo de vídeo, que pode ser removido para um canal do YouTube. Ambas as soluções também ajudarão no SEO, pois você pode otimizá-las separadamente usando uma combinação de tags alt para indexar imagens e conteúdo de vídeo e SEO na página para otimização geral da página. Um dos nossos favoritos é o Optimizilla.

9. Desativar hotlinking e limitar compartilhamentos de mídia social

Falando em mídias sociais e imagens, seria bom desativar os links ativos em sua página da Web e limitar os compartilhamentos em mídias sociais. A segunda sugestão parece contrária a tudo o que você sabe sobre prova social, divulgação e engajamento, mas você pode encontrar um equilíbrio que apoiará sua presença nas mídias sociais sem afetar o desempenho.

Isso nos leva ao problema de hotlinks. Os hotlinks são um pouco da tecnologia que permite que outras pessoas tomem seu conteúdo e o usem em seu próprio site ou plataforma de mídia social. Também inadvertidamente, aumenta o uso de recursos.

Em vez de criar links para imagens ou conteúdo em outro site ou permitir que você seja roubado, faça o download e salve-os no servidor. Pode parecer contra-intuitivo, mas o link para outro conteúdo do site pode ter a consequência não intencional de permitir que o desempenho potencialmente abaixo do padrão de outra pessoa afete o seu próprio.

10. Reduza scripts externos

Incluindo scripts externos O código JS aumenta o número de solicitações HTTP, o que diminui a velocidade do site. Alguns scripts externos são necessários, portanto você não precisa eliminá-los completamente. Pingdom permite que você teste cada link externo para determinar quais estão causando um problema.

Antes de adicionar links externos ao seu conteúdo da web, verifique se o site de origem é confiável ou se você pode trazer os problemas deles para a sua plataforma.

11. Encontre e corrija links quebrados

Quaisquer links quebrados que terminam com redirecionamentos ou mensagens de erro podem afetar o UX. No entanto, esta dica refere-se aos links contidos nos arquivos de imagem, JS ou CSS. Procure e teste os links no cabeçalho dos seus arquivos CSS e no URL de origem do JavaScript. Você pode procurá-los manualmente, examinando os logs do servidor ou usando uma ferramenta de verificação de link.

12. Otimize seus bancos de dados

O armazenamento de arquivos volumosos definitivamente contribui para um desempenho lento. Você deseja um registro completo de todas as ações para fins de segurança, mas sempre que um plug-in ou outro recurso salva dados, ele é criado no seu banco de dados. Imagine todos esses pingbacks, comentários com spam ou desnecessários e publique revisões acumulando-se, e você tem uma boa idéia do problema.

otimização de banco de dados

Para evitar esse problema, faça backups regulares seguidos de limpezas para se livrar de dados em excesso sem sofrer consequências indesejadas.

13. Use temas leves

Você ficaria surpreso com a diferença de mudar seu tema de algo desajeitado e carregado de código para uma estrutura leve. Se o seu site parecer lento e todos os outros elementos estiverem corretos, tente usar um tema mais recente e mais leve. Isso significa mergulhar mais fundo na história de desempenho do tema, em vez de apenas procurar algo que pareça bastante.

Como nos plugins, desinstale o tema antigo em vez de desativá-lo.

14. Escolha um bom sistema de gerenciamento de conteúdo

Sistemas de gerenciamento de conteúdo (CMSs) são essenciais para manter velocidade e desempenho confiáveis. O mais popular de longe é o WordPress, mas também existem o Joomla, o Drupal e muitos outros. Eles oferecem a vantagem da otimização de conteúdo e a disponibilidade de plug-ins ou recursos que melhoram o desempenho.

15. Escolha seu serviço de hospedagem de olho no desempenho

Pode ser tentador encontrar um serviço de hospedagem barato, afinal, seu pão e manteiga estão na sua plataforma, certo? No entanto, sempre otimizar todos os outros componentes que contribuem para um desempenho eficiente não importa se sua plataforma de hospedagem é precária.

Isso significa não apenas escolher um plano que permita lidar com picos de tráfego e crescimento, mas também encontrar um provedor com a tecnologia para oferecer suporte ao desempenho. Os planos de hospedagem compartilhada são aceitáveis ​​se você está apenas começando e usa mais conteúdo estático. No entanto, sua velocidade e disponibilidade de recursos às vezes dependem de bons vizinhos.

Sempre que possível, opte por uma rede virtual privada de qualidade (VPN) ou um servidor dedicado. Isso fornecerá os recursos, armazenamento e disponibilidade necessários para reduzir o tempo de inatividade e a latência.

Não se esqueça dos testes e das avaliações contínuas

Saber o que ajustar e quando depende de saber quais problemas estão afetando o tempo de carregamento da página e a velocidade geral de entrega do conteúdo. Alguns serviços de hospedagem incorporaram ferramentas que você pode usar para medir o desempenho do site. Há também vários métodos e ferramentas que você pode usar para medir a latência e o tempo de carregamento da página.

Não importa qual método ou ferramenta você use, teste em vários locais. É lógico que os servidores localizados mais afastados da fonte levem mais tempo para entregar o conteúdo. O teste geográfico de vários locais ajudará a avaliar as taxas de latência. Ao realizar o teste de velocidade, faça-o com a CDN ativada e desativada. Isso o ajudará a avaliar a eficácia do seu CDN e outras tecnologias.

como funciona um cdn

Uma das ferramentas de teste de velocidade mais comuns e eficazes é o Pingdom. Essa ferramenta on-line gratuita é uma maneira fácil de determinar uma série de problemas com o desempenho e a velocidade do site. Você acabou de inserir seu URL e localização do servidor na caixa de pesquisa e clicar em “Iniciar teste”. Você também pode comprar uma assinatura premium para testes mais detalhados de tempo de atividade e tipos de conteúdo em mais de 70 locais de servidores.

Este é um exemplo de teste de ping usando o DNS público do Google:

$ ping 8.8.8.8
PING 8.8.8.8 (8.8.8.8): 56 bytes de dados
64 bytes de 8.8.8.8: icmp_seq = 0 ttl = 56 time = 54.524 ms
64 bytes de 8.8.8.8: icmp_seq = 1 ttl = 56 time = 43.423 ms
64 bytes de 8.8.8.8: icmp_seq = 2 ttl = 56 time = 50.773 ms

Uma ferramenta de rastreamento rastreará a jornada de pacotes de servidor para servidor, medindo a rota do navegador para o host e identificando gargalos ou outros problemas.

Aqui está um exemplo do relatório de comando traceroute usando o mesmo DNS do Google:

$ traceroute 8.8.8.8
traceroute para 8.8.8.8 (8.8.8.8), 64 saltos no máximo, 52 pacotes de bytes
1 192.168.0.1 (192.168.0.1) 6.632 ms 9.659 ms 10.089 ms
2 10.89.0.1 (10.89.0.1) 29.867 ms 14.293 ms 30.259 ms
3 blk-212-126-117.eastlink.ca (173.212.126.117) 20.677 ms 19.575 ms 20.155 ms
4 ns-hlfx-dr002.ns.eastlink.ca (24.215.102.161) 30.093 ms 29.371 ms 30.796 ms
5 ns-hlfx-br002.ns.eastlink.ca (24.215.102.221) 29.540 ms 29.516 ms 29.989 ms
6 ns-hlfx-br001.ns.eastlink.ca (24.215.102.9) 26.678 ms 29.203 ms 30.787 ms
7 google.eastlink.ca (24.215.101.10) 49.027 ms 49.196 ms 90.601 ms
8 209.85.241.127 (209.85.241.127) 49.999 ms
72.14.239.75 (72.14.239.75) 48.939 ms
72.14.235.169 (72.14.235.169) 46.823 ms
9 google-public-dns-a.google.com (8.8.8.8) 49.465 ms 45.436 ms 43.772 ms

Falando no Google, eles também têm uma ferramenta gratuita para testar sites quanto a problemas de velocidade e desempenho. Você pode acessar o PageSpeed ​​Insights aqui.

O teste não é uma operação única. Seu site deve ser monitorado o tempo todo usando a automação e algumas das ferramentas disponíveis para testes de desempenho e velocidade. para que os resultados tenham algum significado. Isso ajudará você a identificar quaisquer problemas antes que eles se tornem problemas dispendiosos.

Pensamentos finais

À medida que as redes se tornam mais lotadas e distribuídas, a latência se torna mais provável. Nosso objetivo é fornecer as informações necessárias para melhorar o desempenho e a velocidade do seu site. Além de escolher o melhor serviço de hospedagem na Web para suas necessidades e orçamento, otimizar seu conteúdo e como ele será entregue ajudará bastante a eliminar muitas das causas de tempo de inatividade e desempenho lento.

Jeffrey Wilson Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
follow me
    Like this post? Please share to your friends:
    Adblock
    detector
    map